dia especial

Aquele dia foi especial, um daqueles em que as coisas acontecem naturalmente e no final nos damos conta de quanta coisa mudou nos últimos tempos e quantas outras estão para acontecer dali pra frente.

Já fazia algum tempo que Antonia pedia para trocarmos sua cadeirinha do carro por um assento de elevação, e por vários motivos (principalmente segurança) nós estávamos adiando essa mudança.

Naquele dia, então, decidimos que havia chegado a hora, que faríamos o teste de conforto e segurança e, se desse tudo certo, ela passaria a usar o assento de elevação.

Seus olhos brilhavam, o sorriso iluminava todo o rosto e a alegria transbordou quando ela sentou e percebeu que o cinto do carro já estava na altura adequada e não machucava seu pescoço, ficou lá sentada como se tentando acreditar que aquilo estava acontecendo.

Parece que naquele momento ela cresceu vários centímetros e amadureceu alguns anos, a minha menininha passava a ser uma menina maior, mais segura e confiante.

No mesmo dia, Luisa ganhou sua cama nova…

Luisa dormia numa mini-cama, uma cama pequena e baixa que havia surgido a partir de uma transformação de seu berço. Alguns diziam que parecia uma cama de boneca, afinal era miúda, delicada e toda decorada com adesivos escolhidos e colados pela proprietária.

Ela gostava muito de sua cama e não queria que fosse trocada, porém a criança cresceu, quase não cabia mais no colchão e nós estávamos preocupados em lhe proporcionar maior conforto.

A troca começou a ser imagina algum tempo antes e já vinha sendo anunciada, mas foi naquele dia que tudo aconteceu. Tiramos a mini-cama antiga e colocamos no lugar uma cama maior, porém ainda baixa para garantir o fácil acesso e, principalmente, a segurança em caso de rolamentos.

Quando a criança viu sua nova cama arrumada, parou, olhou, disse: “é! até que ficou boa!” e saiu para brincar. Nós ficamos ali, sem entender muito bem, observando a mudança que havíamos feito e com a expectativa de que ela aproveitaria.

A noite chegou e já era hora de deitar, minha pequena preparou sua cama e pediu que a encostasse na da irmã (elas dormem no mesmo quarto!) para formar uma “cama grandona”. Arrumação feita, crianças deitadas, Luisa me chamou, deu um beijo e agradeceu dizendo que agora já está “quase grande”. 

Sai dali emocionada e certa de que minhas meninas estão crescendo lindamente (como diria minha mãe!) e de que mudanças corriqueiras acontecem e nos mostram que o tempo está passando, que as crianças estão crescendo e que cabe a nós auxilia-las a perceberem seu desenvolvimento e a desfrutarem de cada uma das fases e experiências que vivemos juntos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *