autonomia capilar

Minhas filhas nasceram cabeludas (bem cabeludas!), as duas.

E desde muito cedo frequentam o salão de beleza para cortar os cabelos.

Por escolha (minha!) mantive seus cabelos curtos o máximo de tempo que consegui.

Ouvi muitas reclamações, queixas e choros, era um tal de “assim eu pareço menino”, “todas as minhas amigas tem cabelo comprido”, “por que você não deixa meu cabelo crescer?” e eu sempre me mantive firme em minha decisão de conserva-las com seus cabelos curtos, por achar muito gracioso, bastante higiênico e prático.

Foi um tal de amigas, vizinhas, parentes e mais um monte de gente me criticar, me chamar de “bruxa desalmada”, me acusar de desperdiçar os lindos cabelos que minhas filhas tem, mas nunca me importei porque sempre soube que eu sou a responsável por essas crianças, por sua higiene e bem estar.

Passados alguns anos de acusações e reclamações, considerei que estava na hora de deixa-las experimentarem o tal do “cabelo comprido” e assim foi, continuamos visitando a cabelereira para garantir franjas aparadas e pontas em ordem, mas com o objetivo de deixar os cabelos crescerem.

Hoje seus cabelos estão mais compridos do que nunca e as meninas estão aprendendo a cuidar deles e de si mesmas.

E apesar de já terem descoberto que não é tão fácil assim mantê-los sempre limpos, em ordem, bem penteados e desembaraçados, tem se dedicado a atividade e buscado cada vez mais sua autonomia capilar. 

2 pensamentos em “autonomia capilar

  1. Lendo o que escreveu me veio que a Luisa, como irmã mais nova, ganhou uns anos nessa conquista.
    E isso é um tema que me chama bastante atenção aqui em casa, que são dois meninos e a diferença um pouco maior (4 anos e meio de um para o outro)
    O Leonardo acaba “conquistando” algumas coisas que com a sua idade o Felipe não fazia “de jeito nenhum”. Por exemplo, assistir os desenhos do Cartoon, jogar video game entre outras tantas, e a última foi mascar chiclete (que está ainda em negociação rsrsr).
    Como é difícil, e muitas vezes impossível, colocar limites no mais novo, uma vez que convivem juntos a maior parte do tempo.
    Acho que é por isso que dizem que cada filho é criado de uma maneira única. Não tem como repetir TODOS os passos dados com o mais velho.
    Bjs

  2. Confesso….eu sou aquela tia que levantou bandeira com as duas, imagino o quanto esta sendo difícil administrar esses cabelos longos, mas, que ficou um arraso isso è fato, minhas princesas cada dia que passa mais fofas. Minha sobrinha amada levantei bandeira por você também, foi um Deus nos acuda rs… hoje essa mae zelosa, presente e que no meio de escovas, pentes, shampoo ainda da um jeitinho de cuidar de todos nos, parabéns minha linda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *