ser mãe é padecer num paraíso!

Ser mãe é padecer num paraíso!

Essa é uma expressão muito conhecida e até repetida por algumas de nós, afinal que mãe nunca se sentiu assim?

O que nem todo mundo sabe é que este é apenas um trecho do belo soneto “Ser Mãe” escrito, em 1920, por Henrique Maximiano Coelho Neto* e que apresenta outras afirmações bastante verdadeiras e ainda atuais.

Segue o soneto completo para que você (re)leia e (re)lembre que ser mãe é muito mais do que apenas padecer num paraíso.

Ser Mãe

Ser mãe é desdobrar fibra por fibra

o coração! Ser mãe é ter no alheio

lábio que suga, o pedestal do seio,

onde a vida, onde o amor, cantando, vibra.

Ser mãe é ser um anjo que se libra

sobre um berço dormindo! É ser anseio,

é ser temeridade, é ser receio,

é ser força que os males equilibra!

Todo o bem que a mãe goza é bem do filho,

espelho em que se mira afortunada,

Luz que lhe põe nos olhos novo brilho!

Ser mãe é andar chorando num sorriso!

Ser mãe é ter um mundo e não ter nada!

Ser mãe é padecer num paraíso.

 

*Henrique Maximiano Coelho Neto – escritor e político brasileiro que nasceu no Maranhão, dia 20 de fevereiro de 1864 e faleceu no Rio de Janeiro dia 28 de novembro de 1934. Escreveu mais de cem livros e aproximadamente 650 contos. Foi membro fundador da Academia Brasileira de Letras, ocupou a cadeira nº2.  Para saber mais clique aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *