momentos inesquecíveis

Domingo levamos as meninas (minhas filhas!) para passear por São Paulo e incluímos alguns deslocamentos via metrô, elas nunca tinham usado esse tipo de transporte e ficaram encantadas.

A aventura começou quando expliquei que para esse passeio usaríamos um transporte diferente de todos os que elas já conheciam e que para embarcar precisaríamos descer pra “debaixo da terra”… muitas perguntas surgiram e a expectativa estava no ar.

Quando chegamos à estação a curiosidade parecia tomar conta daquelas crianças, seus olhos exploravam o ambiente, mil inquietações brotavam.

Compramos os bilhetes e neste momento apareceu uma estranheza… apenas a mais nova ainda é isenta de pagamento, várias questões, muitas risadas ao passar por baixo da catraca e a excitação crescia.

A espera pelo metrô foi marcante, quando ouvimos o barulho do trem chegando seus olhos brilharam e, assim como no embarque, podíamos ver o deslumbramento em seus rostos. 

O primeiro trecho que percorremos foi curto (apenas uma estação) e no momento do desembarque surgiu um chororô, não queriam descer e as queixas duraram até a saída da estação, quando combinamos que na volta faríamos um percurso mais longo.

A hora de voltar chegou… já sabiam como seria a entrada na estação, a passagem pela catraca, o embarque no trem… o que nem imaginavam é que dessa vez o vagão estaria mais cheio e que todos teríamos que ficar em pé.

Segura daqui, se apoia de lá, olhos curiosos, muitas risadas e o metrô seguindo seu caminho, para numa estação, vai até a outra, pessoas sobem outras descem e de repente um lugar vaga em nossa frente… olhamos pras meninas, indicamos para que sentem e as duas imediatamente sorriem e dizem que ficar em pé é mais divertido, mais emocionante.

Um casal bem jovem que está sentado ao nosso lado ri da situação e comenta entre si: “como é bom ser criança! Quero ver se quando forem maiores vão continuar achando isso…” eu sorrio para eles e penso que eles realmente têm razão, é muito bom ser criança e viver a liberdade de se divertir com as experiências do dia a dia, com as descobertas que fazemos a todos os instantes.

Neste momento me entrego (mais ainda!) a brincadeira e aproveitamos que o vagão esvaziou para ver o movimento do trem lá na frente e, também, lá atrás que serpenteia e nos surpreende com seus leves solavancos.

Desembarcamos e eu me sinto satisfeita e emocionada com mais essa vivência de minhas filhas e, principalmente, muito grata a elas por outra vez me lembrarem que, se aproveitarmos, as experiências cotidianas podem se tornar momentos inesquecíveis.