(ecos) tipos de palpites, pitacos e conselhos

Os três primeiros comentários recebidos em palpites, pitacos e conselhos” me inspiraram a pensar mais a respeito e curiosamente imaginei uma tipologia. 

Eis algumas ideias que surgiram:

Palpite cheio de boas intenções – surge com a melhor das intenções e nem sempre termina bem;

Pitaco tapa na cara – é dado com tanta violência que parece mais uma agressão do que um palpite;

Conselho carinhoso – é proferido com afeto e gentileza, cuida de quem irá recebe-lo e pretende não ofender ou causar mal-estar;

Palpite justificado – aquele que inclui a frase: “só estou te dizendo isso porque…”

Pitaco científico – recheado de informações científicas que muitas vezes não interessam e nem são compreendidas por quem as está recebendo;

Conselho desejado – surge a partir do pedido do outro e por isso, na maioria das vezes, é ouvido e aproveitado com carinho e atenção;

Palpite desculpado – começa com “desculpa falar, mas…” e nem sempre termina bem;

Pitaco google ou spam – cheio de informações colhidas das diferentes fontes digitais e que na maioria das vezes não tem responsabilidade assumida;

Conselho casos de família – traz em si informações e compartilha histórias de família;

Palpite profecia – parece mais uma condenação do que uma sugestão;

Pitaco suicida – aquele que quando a pessoa percebe já “se jogou” de sua boca;

Conselho universal – repleto de histórias universais e atemporais;

Palpite “deveria ser assim…” – fala do mundo ideal e passa longe da vida real;

Pitaco venenoso – aquele do invejoso que é deliberadamente maldoso;

Conselho “no meu tempo…” – dependendo do afeto e das pessoas envolvidas será produtivo ou destrutivo;

Palpite causo da vizinha ou cena de novela – vem recheado de acontecimentos novelescos e muitas vezes inverossímeis;

Pitaco “dai-me paciência!”- aquele que ao ouvir você começa a pedir paciência e contar até dez… ou mil;

Palpite “se comigo deu certo…” – é perigoso quando vem de alguém que esquece de considerar que as pessoas são diferentes e as relações bastante diversas.

Imagino que existam muitos outros tipos e se você tiver alguma sugestão, não se acanhe, palpite sem medo.

Ah! vale lembrar que palpites, pitacos e conselhos são só sugestões e que sempre aproveito da forma como preferir e até jogo fora se achar melhor. E que o fato de saber que posso ignorar o que foi dito, não significa que não me irrite quando alguém chega dizendo, sem mais nem menos, isso ou aquilo a respeito das minhas escolhas e da minha vida.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *